Translate

Sobre a Ahoramágica


O grupo de realização cinematográfica "Ahoramágica cinema & memória" busca discutir, estudar, pensar, propagar os mundos do cinema e realizar, incentivar e ajudar criações artísticas cinematográficas. Sempre vinculando suas pesquisas na relação entre os dois conceitos "cinema" e "memória". Principalmente focado na "memória de comunidades" ou "memórias periféricas", principalmente por meio da linguagem do documentário, mas também o grupo trabalha com ficções. Seus membros moram na cidade de Londrina-PR.


HISTÓRICO:
 
Ahoramágica, até o final de 2016 se chamava Cineclube Ahoramágica, mas desde seu início não era um grupo focado apenas nas exibições e discussões cineclubistas, os caminhos de realizações e discussões que o grupo foi traçando exigiu que o nome do grupo se alterasse para "Ahoramágica cinema & memória". 

Ahoramágica iniciou suas atividades em 2004 no campus da Universidade Estadual de Londrina, tendo nascido da parceria de alguns Centros Acadêmicos dos cursos de Humanas da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e realizando atividades como exibição de filmes e confecção de fanzines. Durante os anos de 2005 e 2006, esteve em parceria com a Casa de Cultura da UEL – enquanto Projeto de Extensão em parceria com sete Centros Acadêmicos (História, Filosofia, Letras, Ciências Sociais, Psicologia, Biologia e Serviço Social) - e no ano posterior os membros mais ativos se dedicaram a algumas experimentações de criação cinematográfica, realizando exibições temáticas, ainda no espaço do Campus universitário. 
Durante o ano de 2008, o cineclube organizou um ciclo de exibição composto por filmes de baixa renda, baixo orçamento, não ligados a grandes produtoras cinematográficas, com o intuito de incentivar as produções cinematográficas locais considerando a maior diversidade possível de perspectivas estéticas.

Em 2009, oficinas e produções cinematográficas passaram a fazer parte dos afazeres da Ahoramágica, tendo como principal realizador e entusiasta Luis Henrique Mioto, um dos membros fundadores do grupo. A princípio, as primeiras obras audiovisuais do cineclube nasciam de perspectivas mais subjetivas e intimistas, entre elas, podemos destacar Histórico de Um Espaço Fugidio (2009) e Pedra no Céu (2009) de Luis Henrique Mioto, assim como, À vó (2009) de Luis Henrique Mioto e Rodrigo Prado e Transformação (2010) de Gabriel Gimenes. Apesar de serem obras muito diferentes entre si, possuíam algumas características em comum, como a ausência de diálogos falados, de estrutura narrativa, a abertura para experimentações estéticas com ênfase nos recursos imagéticos e sonoros, como também, a perspectiva de realizar poesia de maneira cinematográfica a partir de um recorte do cotidiano, da simplicidade da vida.

No ano seguinte, 2010, a Ahoramágica amplia seus horizontes para além da academia e passa a exibir filmes em parceria com a Vila Cultural Brasil, e realizar mais curtas-metragens oriundos de oficinas cinematográficas, também estendendo laços com a Associação Ciranda da Cultura na região oeste de Londrina e o Colégio Estadual Lauro Gomes na região norte. O ciclo de exibição passa a contar com o apoio da política pública Cine Mais Cultura (MinC). Duas temáticas o atravessam nesse momento, a sensibilização por modo do cinema enquanto expressão artística e a cultura popular brasileira.  Os fanzines criados pelo grupo ganham novas dimensões com mais espaço para produções de textos sobre filmes e outros assuntos, inclusive de autoria dos participantes das sessões organizadas pelos coordenadores do cineclube. 

No ano de 2011, Ahoramágica prosseguiu as suas atividades (como exibição de filmes, produções cinematográficas e oficinas) agora em parceria com a Vila Cultural Alma Brasil (http://vilaalmabrasil.blogspot.com/e com o patrocínio da Secretaria da Cultura do município (através de aprovação de edital do Programa de Incentivo à Cultura - PROMIC), além da manutenção da parceria com a Associação Ciranda da Cultura, realizando exibições para o público infantil e pesquisando as demandas da comunidade local buscando compreender e discutir os interesses na realização de obras audiovisuais junto à comunidade da região.

A temática do ciclo de exibição do ano de 2011 e das oficinas e criação cinematográfica realizadas na Vila Cultural Alma Brasil se concentraram na temática das Singularidades Históricas, ou seja, indivíduos que, no enfrentamento com os paradigmas mais tradicionais de sociedade e produção de vida, caminham nas margens, pelas beiradas, fazendo das suas próprias vidas expressões artísticas. As "oficinas de criação cinematográfica" ganham muito mais a possibilidade de uma construção artística coletiva, do que somente o ensino básico de técnicas de produção audiovisual. Destas oficinas (patrocinadas pelo PROMIC - Secretaria de Cultura de Londrina) saem o primeiro longa-metragem da Ahoramágica, o filme Saga Cidade, documentário que foi exibido em vários espaços da cidade de Londrina e doado para os espaços exibidores da cidade.

Em 2012, o grupo continua a parceria com a Vila Cultural AlmA Brasil e, junto, desenvolve um "Curso de criação cinematográfica", apresentando os conceitos do mundo do cinema e tendo como objetivo a realização de um documentário sobre "a cultura popular da cidade de Londrina e região". Para tanto o cineclube se envolve com o lado conceitual da temática ao longo do ano de 2012, realizando exibições semanais com filmes que passam pelo conceito de "cultura popular", bem como dialogando com os participantes do Curso de realização cinematográfica. O Curso envolve o projeto "Roda Memória", projeto que o cineclube coordena juntamente com o Núcleo de Comunicação Popular e Comunitária da AlmA e que tem o patrocínio do Instituto Brasileiro de Museus (Prêmio Pontos de Memória-IBRAM) e do Programa Municipal de Incentivo a Cultura de Londrina (PROMIC). Deste curso sai o segundo longa-metragem do grupo, o Retalhos do chão, do corpo e do céu, filme que teve sua estréia em 2013.

Durante o ano de 2013, a Ahoramágica prossegue realizando palestras, exibições e oficinas colaborando com a realização cinematográfica em diversos espaços. O foco principal é a realização de um documentário longa-metragem sobre os índios Kaingang da Terra Indígena Apucaraninha (Londrina/Tamarana), ainda em processo de produção e alguns curtas-metragens sobre a comunidade da região oeste de Londrina saídos de oficinas de criação cinematográfica com os moradores de lá.

Em 2014, foi desenvolvido o projeto "Memória e cinema na região oeste de Londrina" (com patrocínio do PROMIC e do Programa Pontos de Memória - IBRAM - MinC), em parceria com a Associação Ciranda da Cultura. Foram feitas intervenções imagéticas nas ruas da periferia da região oeste de Londrina, exibições cineclubistas e filmagens junto aos moradores, que resultou nos filmes da web-série Retratos filmados, que estreiou durante o ano de 2015.

Entre 2016, o grupo ficou focado no trabalho junto aos Kaingangs da Terra Indígena Apucaraninha (Londrina/Tamarana). O que resultou em um longa-metragem inteiramente filmado pelos indígenas sob coordenação e edição da Ahoramágica. Mais sobre o filme e o projeto na aba Cinema com os índios Kaingangs 

Em 2017, além da parceria ainda mantida com os Kaingangs na realização de filmes (buscando a autonomia dos indígenas no processo de criação de documentários), o grupo colabora na confecção de uma "CEntro de Memória" dentro da Terra Indígena, discutindo os conceitos de memória comunitária junto aos mesmos e colaborando no processo de catalogação de acervo, confecção de exposições museais e oficinas de capacitação. Além disso, no início do ano o grupo esteve com oficinas de cinema junto a adolescentes infratores em regime de internamento e medidas sócio-educativas no "Centro de Sócio Educação" de Londrina (CENSE).

O grupo mantém o espaço virtual www.ahoramagica.blogspot.com, que além de ser um espaço para contato com o grupo, divulga as ações do cineclube, exibições, cursos, bem como disponibiliza links de acesso a informações importantes para pensar, criar e acessar os mundos cinematográficos.